CRMV-RJ dá dicas de como guardar as sobras das ceias de Natal e Ano Novo, garantindo a segurança dos alimentos

armazenagem sobras natal

Nas festas de fim de ano é comum os excessos na hora do preparo das refeições para as ceias de Natal e de Ano Novo, o que culmina em sobras para os dias seguintes. No entanto, o CRMV-RJ esclarece que é importante ficar atento também na forma de armazenar os alimentos que sobraram , evitando, dessa forma, a formação e desenvolvimento de microrganismos como fungos e bactérias.

No caso do peru assado ou o chester, por exemplo, o recomendado é fatiá-los com a porção que será usada na refeição e guardar as sobras no forno brando ou na geladeira em um recipiente fechado, nesse último caso, podendo ser consumido em até três dias. O prato só pode ficar exposto na mesa por aproximadamente 30 minutos e, caso passe disso, fica inseguro para ser aproveitado no dia seguinte.

Já as rabanadas, por levarem ovos e leite em sua receita, que são produtos de origem animal, devem ficar em forno baixo ou irem para a geladeira após fritas. Na refrigeração, podem ser consumidas em até três dias.

Assim como a rabanada, a maionese é composta de um produto de origem animal: o ovo. O ideal é que sejam tiradas pequenas porções da salada de maionese ou salpicão para servir aos convidados e guardar o restante na geladeira, em um pote fechado. O consumo deve ser feito em até 24 horas.

Para dessalgar o bacalhau, o indicado é usar água fervente ou colocá-lo dentro da geladeira, em uma vasilha, trocando a água a cada quatro horas. Depois de pronto, a recomendação é a mesma que a do peru. O peixe também deve ser consumido em até 24 horas.

Vale seguir a recomendação do fabricante no caso do panetone e outros industrializados. Fiquem atentos quanto a validade e mantenha o pão em lugar seco e arejado.

Lembre-se: Sempre há um médico-veterinário garantindo a segurança dos alimentos de origem animal que você consome.

Scroll to Top