Novos profissionais participam de cerimônia de entrega das Cédulas de Identificação Profissional

O Conselho Regional de Medicina Veterinária do Rio de Janeiro (CRMV-RJ) realizou duas cerimônias de entrega das Cédulas de Identificação Profissional (CIP) aos novos médicos-veterinários, nesta quinta-feira (17). O evento aconteceu na sede do CRMV-RJ.

Na solenidade, o vice-presidente do CRMV-RJ, Diogo Alves; e o superintendente executivo e jurídico, André Siqueira, deram as boas-vindas aos novos profissionais e abordaram os mais de 80 campos de trabalho na medicina Veterinária para que os colegas abram os olhos com relação a áreas que ainda carecem de pessoas qualificadas, enquanto outras estão saturadas; entre outros assuntos.

Kayo Barreto de Almeida (CRMV-RJ 17.762), de 24 anos, mora em Arraial do Cabo e foi um dos profissionais que recebeu a CIP na cerimônia. Ele contou que quer atuar na área de ortopedia de pequenos animais e teve como inspiração a sua tia, a também médica-veterinária Gabriela Pereira de Andrade.

“Minha tia tem uma clínica em Arraial e eu acompanho o trabalho dela desde os meus 12 anos. Teve uma época que desisti da profissão, mas quando chegou perto de escolher o curso da graduação, vi que era isso que queria. Ela foi meu exemplo”, contou.

Orgulhosa, Gabriela também teceu elogios ao sobrinho: “É emocionante ver que consegui traduzir esse amor a profissão dessa forma. Nesse meio de trabalho que consome bastante o nosso tempo, a gente ainda consegue transmitir esse amor através da profissão. Isso é gratificante”, disse.

Gabriela com o sobrinho, Kayo

Raquel Eliza da Silva (CRMV-RJ 17.526), 34, mora em Barra Mansa e já escolheu a sua área de atuação: qualidade de leite. Ela ainda elogiou a realização da solenidade e a forma que os assuntos foram tratados.

“Bem esclarecedora, sanou dúvidas que a gente não tinha nem conhecimento”, declarou.

Stephanny Portugal (CRMV-RJ 17.540), 31, também é de Barra Mansa e também pretende atuar na bovinocultura de leite.

“Achei a cerimônia interessante, esclarecedora, deu orientações que a gente não tinha conhecimento, explicou sobre a valorização profissional, além de como entrar no mercado de trabalho tão concorrido”, explanou.

Stephanny e Raquel
Scroll to Top