CRMV-RJ realiza as primeiras cerimônia de entrega das Cédulas de Identificação Profissional de 2022

O Conselho Regional de Medicina Veterinária do Rio de Janeiro (CRMV-RJ) realizou as primeiras cerimônia de entrega das Cédulas de Identificação Profissional (CIP) desde ano de 2022 aos novos médicos-veterinários. O evento aconteceu na sede do CRMV-RJ, nesta quarta e quinta-feira (26 e 27).

Na solenidade, o vice-presidente do CRMV-RJ, Diogo Alves; a tesoureira Isabelle Campello; e o conselheiro suplente Júlio Israel Fernandes falaram sobre a possibilidade do acesso formal ao mercado de trabalho dos participantes. Foram compartilhadas questões como as do organograma do Conselho, da importância do cargo de Responsável Técnico, bem como suas atividades e dificuldades enfrentadas no exercício. A importância e obediência ao Código de Ética Profissional também foram enfatizadas.

Complementar, divulgação e propaganda dos serviços veterinários, o combate aos falsos profissionais, bem como a restrições da Telemedicina Veterinária também fizeram parte das informações prestadas.

Michele Ferreira e a tesoureira do CRMV-RJ

Michele Ferreira, que tem 28 anos e mora em Mesquita, quer seguir a medicina veterinária na carreira militar e tem como inspiração a tesoureira do CRMV-RJ.

“A Isabelle é minha grande inspiração. A conheci através das redes sociais e disso veio essa vontade e sonho de seguir nessa área”, contou a profissional, que elogiou a cerimônia: “A solenidade foi bem clara, gostei que fomos bastante acolhidos, gostei da recepção”, declarou.

Michelle Oliveira da Silva de Souza, de 31, que é do Catete, foi acompanhada de seu filho, Gustavo, de 3 anos. “Eu me formei em 2017, logo depois eu engravidei. Não estava atuando, veio pandemia e fiquei com ele em casa. Agora voltei e quero atuar de fato na área da fisioterapia de cães e gatos”, explicou.

Michelle Oliveira e seu filho, Gustavo

Já Ana Carolina Peraes Boiteux, 23, tem a Medicina Veterinária como sonho de criança. “Sempre quis fazer Medicina Veterinária desde bem nova. Sempre gostei de bicho e quero atuar na área de pequenos. Não conhecia muito sobre o Conselho e achei a cerimônia importante para fechar um ciclo e começar outro”, disse a moradora de Petrópolis.

Gabriel Mello e sua mãe

Gabriel Mello, 29, escolheu ser médico-veterinário depois de ter passado por outros cursos como Educação Física e Economia. “Tenho paixão por felinos e tinha interesse em cuidar desses animais”, declarou ele, que foi acompanhado da mãe, a professora universitária Rita de Cassia Mello: “Minha mãe foi de extrema importância, desde pequeno me educando e sempre me apoiando nas minhas decisões. Ela foi fundamental nessa formação”.

Scroll to Top