Estado do Rio de Janeiro inicia Campanha de Vacinação contra a Febre Aftosa

Febre-aftosa

A primeira etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra a Febre Aftosa de 2021 começa neste sábado (1º). Nesta fase terão prioridade bovinos e bubalinos de todas as idades. Segundo o Ministério da Agricultura, a expectativa é vacinar, nesta etapa, 170 milhões de animais, ou seja, cerca de 20% de todo o rebanho nacional.

“Essa vacinação é muito importante para o país manter seu reconhecimento internacional das zonas livres de febre aftosa com vacinação. Dessa forma, contamos mais uma vez com o empenho e o trabalho de todos os produtores rurais envolvidos nessa etapa”, esclareceu o diretor do Departamento de Saúde Animal, da Secretaria de Defesa Agropecuária, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Geraldo Marcos de Moraes.

Segundo o diretor do Departamento de Saúde Animal, as vacinas devem ser adquiridas nas revendas autorizadas e mantidas refrigeradas entre 2°C e 8°C. “É sempre importante reforçar que a vacina deve ser mantida refrigerada, desde a aquisição da revenda até a propriedade rural e durante toda a atividade de vacinação dos animais. A dose é de 2 ml por animal, que deve ser aplicada na tábua do pescoço, sempre utilizando agulhas novas”, explicou.

Após vacinar o rebanho, o produtor rural deverá fazer a declaração de vacinação. Essa declaração poderá ser, prioritariamente, de forma on-line ou presencial nos postos designados pelo serviço veterinário estadual nos prazos estipulados.

Declaração de vacinação

A Secretaria de Estado de Agricultura, por meio da Defesa Agropecuária, permite que o pecuarista faça o lançamento da sua própria declaração de vacinação utilizando o Sistema de Integração Agropecuária (Siapec3). Neste período da pandemia, também foram disponibilizados os e-mails dos Núcleos de Defesa Agropecuária (veja link abaixo) e WhatsApp (21 98605-1198) para envio da declaração e esclarecimentos de dúvidas sobre a campanha.

O formulário de declaração está disponível para o preenchimento aqui, devendo ser enviado junto da nota fiscal, de forma digitalizada ou por foto, para um dos contatos apresentados.

O produtor poderá contar com o apoio dos sindicatos rurais, lojas agropecuárias e prefeituras no recebimento de declarações, que serão repassadas aos escritórios do serviço oficial, evitando, assim, a aglomeração nesses postos – comentou o Superintendente da Defesa Agropecuária, Paulo Henrique de Moraes.

Os contatos de e-mails dos Núcleos de Defesa Agropecuária podem ser acessados por meio deste link.

Os números abaixo são regionais e também estão disponíveis para envio das declarações direto para os escritórios locais pelo WhatsApp:

(24) 2445-4539 – Barra do Piraí
(24) 3328-2479 – Barra Mansa
(22) 2731-5928 – Campos dos Goytacazes
(22) 2778-4568 – Casimiro de Abreu
(22) 2551-1673 – Cordeiro
(24) 2222-9883 – Petrópolis
(22) 2789-1397 – São Francisco do Itabapoana
(21) 2747-2185 – Tanguá
(24) 2251-5690 – Três Rios
(24) 2438-3331 – Valença

Febre aftosa

A Febre aftosa é uma doença infecciosa aguda que causa febre, seguida pelo aparecimento de vesículas (aftas) principalmente na boca e nos pés de animais de casco fendido. A doença é causada por um vírus, do qual existem sete tipos.

A doença é transmitida pelo fluido das vesículas e também pode ocorrer pela saliva, no leite e nas fezes dos animais afetados. A contaminação de qualquer objeto com qualquer dessas fontes de infecção é uma fonte perigosa de transmissão de um rebanho a outro. No pico da doença, o vírus está presente no sangue.

Os animais adquirem o vírus por contato direto com outros animais infectados e com alimentos e objetos contaminados. A doença é transmitida mecanicamente pela movimentação de animais, pessoas, veículos e outros que tenham sido contaminados pelo vírus. Caminhões, carretas, recintos de leilões, feiras e currais de embarque nos quais tenham circulado animais infectados são perigosas fontes de contaminação, caso não sejam devidamente desinfetados.

Segundo o Ministério da Agricultura, a transmissão da febre aftosa para seres humanos é raríssima. Só existe um registro na Grã-Bretanha em 1966. Os efeitos gerais da doença na pessoa são muito similares à gripe com algumas aftas.

*Contém informações do Ministério da Agricultura e da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento

Scroll to Top