Expo-Cordeiro completa 100 anos desde a sua primeira realização

Carregando consigo a insígnia de maior e mais famosa Feira Rural do Estado do Rio de Janeiro pela crítica especializada, a “Exposição Agropecuária, Industrial e Comercial de Cordeiro”, a Expo-Cordeiro, completa 100 anos desde a sua primeira realização.

A Exposição Agropecuária se tornou um marco para Cordeiro desde a sua primeira edição, em 1921. A cidade, que também é chamada de “Cidade Exposição”, é reconhecida em muitas regiões pela festa e se tornou também sua marca registrada, atraindo produtores rurais, industriários, comerciantes, empresários e visitantes de todo país ao bom e velho Parque Raul Veiga.

Em 2017, a Administração Municipal relatou que acumulava dívidas por ter de custear as altíssimas despesas da festa e decidiu terceirizar a 75ª Expo-Cordeiro à empresas especializadas no ramo de eventos de grande porte.

A Exposição – que normalmente conta com parque de diversões, concurso Rainha da Expo, tenda cultura, expo arte, camarote oficial, tenda literária e concurso de raças – é considerada por unanimidade , de acordo com a prefeitura de Cordeiro, uma “porta de entrada do crescimento econômico regional, especialmente no que tange aos setores agropecuário, industrial e comercial, já que a Feira Rural alavanca, através das apresentações de animais e produtos, cada um dos setores de forma bastante abrangente”. Além disso, ainda há a força cultural, turística, de entretenimento e popularidade do evento, que reúne em cinco dias, com entrada franca, cerca de 200 mil expectadores anualmente.

Os bovinos e equinos expostos, julgados e premiados nas edições da Exposição Agropecuária de Cordeiro saem do certame mais valorizados em relação ao preço de mercado com o qual entraram no Parque Raul Veiga antes do inicio da feira rural. Os bovinos são criteriosamente analisados por renomados juízes, todos com vasta experiência em julgamentos de morfologia, biótipo, condições frigoríficas e funcionalidade.

No ano passado, devido a pandemia de Covid-19, a prefeitura de Cordeiro organizou uma chamada Expo em Casa Live Music para que os internautas curtissem o Festival Cordeiro Música em Casa. Nas homenagens , houveram vídeos e cenários especiais alusivos à Expo-Cordeiro, além de fotos que remeteram ao evento, sorteio de brindes e uma maior abertura para a participação popular através das redes sociais.

Inauguração

A ideia partiu do então “presidente” do estado do Rio, Raul Veiga, que se propôs a desenvolver o rebanho em animais do estado, criando Postos de Monta pelo interior.

Como o projeto já havia sido instalado na região sul do estado, João Bellieni Salgado sugeriu que Cordeiro se candidatasse a esse projeto. A ideia contou com apoio do então prefeito de Cantagalo, do qual Cordeiro era distrito, o Coronel Januário Pinto de Freitas. O mesmo era pecuarista, comerciante e industrial cordeirense. A partir daí, o projeto teve apoio de diversos políticos.

De início, a exposição aconteceria em agosto de 1920, porém a epidemia da febre aftosa afetou a programação e por três vezes o evento precisou ser adiado para maio de 1921.

Na época da inauguração, em 4 de maio de 1921, Raul Veiga abordou no jornal regional Gazeta de Cordeiro as exposições regionais e a importância do “certame de cordeiro”: “Vão desenvolver consideravelmente a indústria pecuária não só daquele município como em todos os outros do estado! As exposições regionais, como sabe, nada mais são do que exposições preparatórias para as nacionais. Mais eficientes que as outras, mesmo porque, são menores e por isso mais féis de serem examinadas. Espero dele ótimo resultado”.

A inauguração contou, inclusive, com a presença da comitiva presidencial, com o Presidente da República, Epitácio Pessoa, que realizou a abertura da exposição de gado. O distrito de Cordeiro, na época, possuía 5.675 habitantes, conforme dados do censo realizado em 1920.

No balanço final da Primeira Exposição Agropecuária de Cordeiro foram registradas mais de 35 mil pessoas presentes, além da inscrição de mais de 400 animais, o que, segundo relatado pelo jornal Clic Pensado, “em relação a Exposição Nacional com 1.300 e poucas, é um sucesso colossal”.

Scroll to Top