Abate halal: Medicina Veterinária e religião em perfeita sintonia

Você sabe o que é ‘halal’? No idioma árabe significa lícito, permitido. Mais do que isso, é um conceito que permeia a alimentação e o uso de produtos cosméticos e farmacêuticos por muçulmanos em todo o mundo. Pela sharia, o código de leis islâmico, os seguidores da fé de Maomé só podem consumir produtos que se encaixem nessa categoria porque seriam aqueles permitidos por Deus.

A avicultura brasileira viu crescer significativamente a representação do mercado de produtos halal entre os destinos de exportação da carne de frango nacional, em especial no Ramadã – novo mês do calendário islâmico, que em 2022 ocorreu do começo de abril até o início de maio. Isso porque as agroindústrias brasileiras vêm se especializando para atender as exigências desses mercados em que a fé rege também os hábitos alimentares.

O Brasil, que é o atual maior exportador de carne de frango halal do planeta, exportou 1,915 milhão de toneladas de carne de frango para o mercado islâmico em 2021, quase a metade de toda a exportação brasileira do setor – de 4,6 milhões de toneladas no ano passado, de acordo com dados da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). No primeiro bimestre de 2022, o volume de carne de frango halal já aumentou 5,17% em relação ao mesmo período do ano passado, alcançando 310,4 mil toneladas.

Apesar do Serviço de Inspeção Federal (SIF) do Ministério da Agricultura não atuar em certificações de cunho religioso, como a halal, a Medicina Veterinária desempenha um papel essencial na inspeção de produtos de origem animal no Brasil e sua atuação está intimamente ligada à saúde pública, visto que tal conduta impacta diretamente na qualidade da carne e seus derivados. Todo estabelecimento, independentemente do tipo de abate realizado, conta com fiscais que examinam as áreas dos matadouros e frigoríficos e verificam o cumprimento de programas relativos à higiene, à documentação do estabelecimento e às condições de saúde do animal.

Os produtos comercializados que foram fiscalizados por médicos-veterinários passam por rigorosos processos higiênicos, sanitários e tecnológicos no abate, nos Programas de Boas Práticas de Fabricação e por normas de bem-estar animal que atestam a qualidade da carne.

O setor de carne de frango halal do Brasil é uma área que os médicos-veterinários podem se atentar ao mercado de trabalho. Para que uma empresa seja certificada, ela precisa respeitar as boas práticas de fabricação em seus processos, além de terem transparência em suas informações e conduta comercial correta e justa em suas negociações.

Scroll to Top