Flávio Tavares é incluído como membro da Câmara Setorial de Equideocultura do Mapa

O médico-veterinário Flávio Tavares (CRMV-RJ 3688), foi incluído como membro da Câmara Setorial de Equideocultura, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A entidade tem como objetivo sugerir diretrizes para a elaboração de políticas públicas voltadas ao desenvolvimento do setor, que tem o quarto maior rebanho equino do mundo, com aproximadamente 5 milhões de animais; e que movimenta 16 bilhões por ano e gera 3,2 milhões de empregos diretos e indiretos.

Flávio tem 59 anos, se formou em Medicina Veterinária pela Universidade Federal Fluminense (UFF), em 1986, e se especializou em Reprodução Equina, através de cursos e estágios, e finalizando essa especialização na Inglaterra em 1992, em Newmarket, na Beaufort Cottage Stables, referência mundial na época em reprodução equina.

Atualmente, Flávio também é presidente da Comissão de Fomento e Comércio Exterior da Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Mangalarga Marchador (ABCCMM). Ele ainda é autor do projeto que resultou em um acordo sanitário bilateral entre o Brasil e os EUA, em agosto de 2020, para exportação de embriões equinos congelados, abrindo possibilidade de exportação para todas as raças de equinos do Brasil, que tenham demanda para o mercado Americano.

“Atuei durante 30 anos, na minha clínica especializada em reprodução de cavalos, em Papucaia, e em mais de 200 haras em todo o Brasil. Publiquei trabalhos científicos e matérias técnicas em periódicos e congressos internacionais e revistas especializadas; ministrei palestras e cursos na área em diversas universidades do país. Fui pioneiro no uso da biotecnologia em reprodução equina, na raça Mangalarga Marchador, tendo sido o primeiro veterinário a usar a técnica da transferência de embriões. Construí uma carreira paralela às minhas atividades clínicas, de gestão, tendo sido Superintendente da Defesa Agropecuária do Estado do Rio, vice-presidente do Instituto Vital Brazil, interventor do Governo do Rio na antiga CCPL (Cooperativa Central dos Produtores de Leite), secretário de Agricultura do município de Rio Bonito, e presidente da Comissão de Agronegócio do CRMV-RJ”, disse.

Natural de Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro, Flávio atualmente reside em Rio Bonito. Contudo, o médico-veterinário adiantou que migrará para os Estados Unidos ainda nesse ano, após ter sido aprovado no país para um visto permanente de moradia e trabalho na minha área de atuação, em função do currículo.

O médico-veterinário foi indicado pela Federação da Agricultura do Estado do Rio de Janeiro (Faerj) para ser membro da Câmara Setorial de Equideocultura. Ele explicou que o objetivo é de levar a técnica e a inovação para serem analisados, tornando a inovação e o empreendedorismo como players das políticas públicas para a Equídeocutura.

“Fui indicado pela Faerj tanto pelos serviços prestados à equinocultura no Rio e no Brasil, como também pelo projeto inovador de exportar embriões congelados para os EUA. A Câmara Setorial de Equideocultura norteia as políticas públicas para toda a cadeia produtiva da Equídeocutura nacional. Assim, com o incremento dela, com maior investimento por parte do governo em programas de sanidade e inovação, abrem-se as mais diversas possibilidades de atuação para toda a classe Médica Veterinária, que é um dos “braços de trabalho” de toda a cadeia”, explicou.

Scroll to Top