Presidentes elaboram manifesto em defesa do ensino da Medicina Veterinária durante Câmara Nacional de Presidentes

Na quinta-feira (16), os presidentes e representantes dos Conselhos Regionais de Medicina Veterinária (CRMVs) tiveram a oportunidade de expor as ações desenvolvidas em seus estados e debater questões importantes para as profissões, como a qualidade do ensino da Medicina Veterinária. As atividades ocorreram no segundo dia da 1ª Câmara Nacional de Presidentes de 2023 do Sistema CFMV/CRMVs, que está sendo realizada em Bonito, no Mato Grosso do Sul.

Os participantes acompanharam a apresentação da Comissão de Ensino da Medicina Veterinária do regional de Mato Grosso, que abordou o perfil socioeconômico dos egressos de Medicina Veterinária das Instituições de Ensino Superior (IES) daquele estado. Na ocasião, foi elaborado um manifesto em defesa do ensino da Medicina Veterinária, que será assinado por todos os presidentes.

“O manifesto visa dar embasamento e sustentação para dialogar com os órgãos políticos, o Congresso e o Ministério da Educação (MEC). É urgente que haja fiscalização e qualidade dos cursos de graduação, de forma a assegurar a formação adequada dos futuros profissionais”, enfatizou o presidente do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), Francisco Cavalcanti de Almeida.

Perfil socioeconômico dos egressos do MT

De acordo com o médico-veterinário José Ricardo de Souza, professor da Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT) e membro da comissão, os dados coletados podem contribuir para as ações de valorização profissional no estado.

“Esperamos que o relatório possa sensibilizar os colegas e subsidiar as instituições de ensino a trabalhar pontos estratégicos em suas Propostas Pedagógicas Curriculares (PPCs). Os dados também visam promover discussões que possam, tanto a nível regional quanto nacional, trabalhar questões comuns a outros estados”, disse Souza. 

O documento exibiu alguns dos motivos que levam os médicos-veterinários matogrossenses a desistir da profissão. A presidente da Comissão Regional de Educação em Medicina Veterinária do CRMV-MT, Izilda Souza de Figueiredo, diz que é importante compreender todo o ciclo do egresso, desde a formação acadêmica até o exercício profissional.

“Esperamos que o relatório sirva como base de pesquisa para as IES do estado e promova reflexões, mudanças e transformações nos projetos pedagógicos, bem como na qualificação profissional e em melhorias das condições de trabalho. É importante que haja uma periodicidade na realização desses estudos, ou mesmo um censo nacional do médico-veterinário, a fim de conhecermos mais detalhadamente as perspectivas da profissão”, afirma Sandra.

A vice-presidente do CFMV, Ana Elisa Almeida, parabenizou o trabalho da comissão e afirmou que os dados são importantes balizadores para as ações do Sistema CFMV/CRMVs. “É necessário conhecermos a percepção e os anseios dos colegas sobre a profissão. Os dados do relatório poderão ser utilizados por outros regionais e contribuir para que possamos melhorar a nossa fiscalização e traçar ações de trabalho”, disse.

Transição da nova Lei de Licitações

Durante a CNP, representantes do Setor de Compras e Licitações (SECLC) do CFMV apresentaram informações preliminares sobre a implementação da Lei nº 14.133/2021, que estabelece as novas normas de licitação e contratação de serviços para as administrações públicas e autarquias e entra em vigor, definitivamente, no dia 1º de abril. 

 “A lei traz alguns desafios, pois apresenta uma série de itens sobre processos de compras eletrônicas que passam a ser obrigatórias a partir de abril de 2023. A legislação visa promover maior transparência, segurança jurídica, celeridade e desburocratização nos serviços. Também irá oferecer maior competição entre fornecedores, trazendo economia para os pregões eletrônicos do Sistema”, explicou o agente de compras Michel de Lima.

Foi criada uma Comissão de Transição (Portaria CFMV nº 91/2022) com a finalidade de efetuar as ações necessárias para a migração dos processos de contratação previstos na antiga Lei Geral de Licitações (Lei nº 8.666/93) para a nova norma, e dar suporte aos conselhos regionais.

“Estamos trabalhando com a Diretoria Executiva para aprimorar cada vez mais os atendimentos e apoiar os regionais em seus procedimentos eletrônicos e planos de contratações anuais”, informou o agente Francisco Alves Lopes Junior.

Outras atividades

Idealizador do Projeto Jiboia, em Bonito (MS), Henrique Naufal apresentou aos presidentes o trabalho de educação ambiental que realiza com serpentes não peçonhentas, que abrange o comportamento e a vida reprodutiva destes animais.

“Falar com médicos-veterinários de diferentes regiões do país é ter a oportunidade de levar o nosso projeto a um número maior de pessoas e, consequentemente, de contribuir cada vez mais para o conhecimento da sociedade sobre esses animais”, disse Naufal.

Presidentes elaboram manifesto em defesa do ensino da Medicina Veterinária durante Câmara Nacional de Presidentes

Departamento de Comunicação do CFMV, com informações das Assessorias de Comunicação do CRMV-MS, CRMV-RJ e CRMV-SP

Scroll to Top