beylikdüzü türbanlı escort

escort beylikdüzü

beylikdüzü escort

ataköy escort

istanbul escort bayan

beylikdüzü escort bayanlar

esenyurt escort

avcılar escort

beylikdüzü escort bayan

beylikdüzü escort bayanlar

Nota de repúdio à matéria veiculada pela Record sobre vacinação para médicos-veterinários

Esta imagem possuí um atributo alt vazio; O nome do arquivo é WhatsApp-Image-2020-10-14-at-13.17.09-1024x1024.jpeg

O Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado do Rio de Janeiro (CRMV-RJ), atento às questões que impactam direta ou indiretamente na Medicina Veterinária e cumprindo a sua missão de prestar um serviço de qualidade e de orientação quer seja ao profissional registrado quer seja à população, vem a público ressaltar que repudia veemente a prática jornalística da emissora de televisão Record, em matéria veiculada no dia 24 de janeiro de 2021, em seu programa Domingo Espetacular, intitulada “Saúde inclui veterinários em grupo prioritário de vacinação e decisão gera polêmica”.

Na matéria, o repórter cita uma “polêmica” a cerca da decisão do Ministério da Saúde ao incluir médicos-veterinários como grupo de prioridade na vacinação contra Covid-19. O primeiro trecho da reportagem afirma que: “Uma decisão do Ministério da Saúde está provocando polêmica entre os profissionais que trabalham na linha de frente de combate à Covid-19. O diretor do Departamento de Imunização incluiu os veterinários no grupo de prioridade na campanha de vacinação no Brasil, posteriormente abordando que a decisão partiu de outro veterinário, Laurício Monteiro Cruz, diretor do Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, que atendeu a um pedido do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV).

Em determinado trecho da matéria, a reportagem afirma que “apesar dos profissionais estarem no Conselho Nacional de Saúde, especialistas defendem que, neste momento, ainda com poucas vacinas, a prioridade deveria ser dada aos profissionais que atuam no enfrentamento da covid”.

Entre os personagens da reportagem está o ex-presidente da Anvisa e médico da área de saúde pública, Gonzalo Vecina, que afirma que a inclusão dos médicos-veterinários não se sustenta: “o cargo que foi entregue politicamente para esse senhor está sendo utilizado para beneficiar uma parte da população em detrimento da maioria da população”.

O Conselho Regional esclarece que o Ministério da Saúde, por meio da Portaria nº 639, de 31 de março de 2020, que dispõe sobre a Ação Estratégica “O Brasil Conta Comigo – Profissionais da Saúde”, voltada à capacitação e ao cadastramento de profissionais da área da saúde, para o enfrentamento à pandemia provocada pelo novo coronavírus (Covid-19), deixou evidente que o médico-veterinário é um profissional da área da saúde, conforme disposto no inciso X, do Art. 1º da referida normativa.

Ainda, cumpre-nos destacar que a Resolução do Conselho Nacional de Saúde (CNS) nº 287/98 incluiu o profissional de Medicina Veterinária entre os profissionais de saúde e, a partir dessa normativa, o médico-veterinário passou a fazer parte do corpo de profissionais que atuam nos Programas de Residência Multiprofissional em Saúde e Residência em Área Profissional da Saúde, conforme Portaria Interministerial nº 45, de 12 de janeiro de 2007, emanada dos Ministérios da Educação e da Saúde, que “Dispõe sobre a Residência Multiprofissional em Saúde e a Residência em Área Profissional da Saúde e institui a Comissão Nacional de Residência Multiprofissional em Saúde”.

Por conseguinte, a Portaria nº 2488, de 21 de outubro de 2011, do Ministério da Saúde, que “Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica, para a Estratégia Saúde da Família (ESF) e o Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS)”, autorizou a inclusão do Médico Veterinário nos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASFs), permitindo, pois, que os Secretários de Saúde se valham dos Médicos Veterinários nos quadros de atuação para a saúde familiar.

O CRMV-RJ lamenta a postura da Record diante de uma matéria sem embasamento e por não ter sido consultado acerca de tal reportagem. O Conselho Regional ressalta que seu corpo diretivo (Diretoria e Comissões) é formado por diversos profissionais com renomada capacidade técnica de arguir sobre qualquer assunto relativo à Medicina Veterinária e à Zootecnia.

“Não seria demais lembrar que o médico-veterinário atua em diversas frentes, inserindo-se em diferentes atividades desde a exposição aos tutores de animais, atendendo a serviços de urgência e emergência, frigoríficos, indústrias de produtos de origem animal, até a vigilância epidemiológica e sanitária, sendo, indiscutivelmente, parte integrante do grupo prioritário para ser vacinado nos postos de saúde espalhados pelo Brasil. Vale salientar que a participação do médico-veterinário na saúde pública é de suma importância, sobretudo no que diz respeito à prevenção e minimização dos riscos de exposição dos homens às zoonoses, decorrentes da crescente demanda por alimentos de origem animal, ocasionando o incremento das indústrias zootécnicas e de rebanhos, além da expansão do mercado pet com aquisição de animais exóticos (aves ornamentais, hamsters, quelônios e serpentes), deslocamento de animais às feiras e exposições e manipulação de vírus e animais para desenvolvimento de fármacos e imunobiológico”, explicou o vice-presidente do CRMV-RJ, Diogo Alves.

O CRMV-RJ se coloca e sempre se colocou à disposição de todos os meios de comunicação para dirimir dúvidas, visando o bem-estar da Saúde Única (One Health): humana, animal e ambiental.

Rolar para cima